Reformas Pombalinas e a Importância Estratégica da Amazônia para a América Portuguesa

  • Fabrício da Silva Henriques
Palavras-chave: Pombal, Amazônia, Geopolítica

Resumo

A ascensão do Marquês de Pombal à condição de “primeiro ministro” de fato do reino português implicou uma nova política para a região Amazônica. Os esforços de centralização aplicados inserem-se numa estratégia de consolidação do poder português, resguardando a soberania sobre o território e buscando alternativas econômicas para a ampliação das receitas da metrópole. Na geopolítica pombalina, a importância amazônica ficou clara pelas reformulações administrativas, bem como pela instituição de um novo regramento para questão indígena. No mesmo sentido, as escolhas pessoais de Pombal para os postos chave na administração da Amazônia portuguesa evidenciam a importância estratégica que ele dava à região. Embora essa política tenha tido êxito no longo prazo, os custos para os povos tradicionais da Amazônia foram bastante altos, tendo em vista políticas abertas de estímulo à miscigenação e ao aportuguesamento da administração local. Assim, verifica-se uma ambivalência nas consequências da política de Pombal para a Amazônia.

Biografia do Autor

Fabrício da Silva Henriques

Mestre em Direito, Estado e Constituição pela Universidade de Brasília. Membro da Clínica de Direitos Humanos e Direito Ambiental da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e do Grupo de Pesquisa “Crítica e Direito Internacional” da Universidade de Brasília.

Publicado
2020-02-27